Editora Rocco - Lançamentos




Livro: UM NOVO REINO - Volume III
Autor: Licia Troisi
Tradução:Mario Fondelli
ISBN:978-85-325-2635-9
Páginas:448
Formato : 14x21
Série : As Guerras do Mundo Emerso
Preço : R$ 49,50



Sinopse do Livro


O fim da guerra do Mundo Emerso está muito próximo. E alianças inesperadas podem fazer toda a diferença. Dubhe e Lonerin tiveram sucesso na busca pelo mago Senar, mas, de volta das Terras Desconhecidas, os jovens são novamente enviados em perigosas missões. Em Um novo reino, terceiro volume da série As guerras do Mundo Emerso, Licia Troisi separa seus heróis em missões distintas. Dubhe e Lonerin partem em caminhos diferentes em novas aventuras em busca de uma solução para o fim do conflito.
Agora, Dubhe tem como aliada Theana, uma jovem maga que estudou com Lonerin. As duas partem rumo ao palácio real na Terra do Sol para matar o cruel Dohor, o ditador responsável pelo selo de Dubhe e que juntou forças com a Guilda dos Assassinos. Porém, a viagem não é fácil e logo as jovens são capturadas pelas tropas do perverso rei. O destino as leva até Learco, jovem príncipe, filho do ditador, que consente que as duas o acompanhem até a corte como escravas. No caminho para Makrat, capital do império, Dubhe e Learco se tornam próximos demais e um amor proibido começa a surgir, colocando em risco toda a missão das jovens.
Enquanto isso, Lonerin parte ao lado de Senar em busca do antigo amuleto de Nihal. O artefato é a última chance dos rebeldes impedirem o renascimento de Áster, o Tirano. Nesse ínterim, o gnomo Ido toma para si a tarefa de proteger San, neto de Nihal e Senar, o menino que Yeshol e Dohor buscam para usar como receptáculo da alma de Áster.
Simultaneamente, o Conselho dos Territórios Livres se reúne e decide lançar um decisivo ataque contra a Guilda e o exército de Dohor. E Dubhe vai ser forçada a escolher entre seu novo amor e o futuro de todo o Mundo Emerso.
Três missões que se cruzam e determinam o destino do Mundo Emerso. Revelações inesperadas, alianças surpreendentes e muita aventura dão o ritmo a Um novo reino. E a italiana Licia Troisi proporciona ao leitor um passeio fantástico rumo a um final apoteótico que faz valer cada etapa do longo caminho. 




Livro: RÁDIO SHANGRI-LÁ
Subtítulo: O que aprendi no lugar mais feliz do mundo
Autor: Lisa Napoli
Tradução:Alyda Sauer
ISBN:978-85-325-2656-4
Páginas:272
Formato : 14x21
Preço : R$ 35,00



Sinopse do Livro


Antes mesmo de embrenhar-se na cultura e nos costumes do país mais feliz do mundo, a jornalista Lisa Napoli já andava em busca da felicidade na ensolarada Califórnia. Em crise com a profissão e em busca de um sentido para sua vida, ela frequentava, todas as quartas-feiras, uma oficina experimental de psicologia positiva, as chamadas “aulas de felicidade”. Foi neste período que conheceu Sebastian, um belo desconhecido que estava prestes a fazer uma viagem à Ásia, com uma passagem pelo Butão. Meses depois, por conta deste encontro decisivo, Lisa parte para uma temporada de seis semanas no ‘país mais feliz do mundo’. O resultado é um testemunho sincero sobre a temporada de Lisa neste encantador recanto asiático.
No Butão, Lisa Napoli trabalhou por seis semanas como voluntária na Kuzoo, uma rádio pública voltada para o público jovem. A missão da jornalista era profissionalizar os locutores da emissora. O ano era 2006 e o país estava em uma fase de transição, prestes a instalar um governo democrático. Mais do que cumprir sua missão profissional, a jornalista se envolveu e se encantou com a paisagem, a cultura e o povo do país.
No livro, Lisa Napoli apresenta uma versão ao mesmo tempo jornalística e pessoal sobre o período vivido no país onde não se mede o êxito pelo dinheiro ganho, mas por um índice chamado de Felicidade Interna Bruta. Ela também apresenta, de forma rápida, mas consistente, uma análise sobre o trabalho jornalístico, especialmente aquele desenvolvido por profissionais em rádios, além de um ponto de vista particular sobre a transição da monarquia para a democracia.
Com Lisa, os leitores aprendem que o Butão só se abriu ao turismo nos anos 1970, época em que o país começou a sair de seu longo e autoimposto isolamento. O primeiro aeroporto foi construído em 1984, mas mesmo no final dos anos 2000, havia apenas dois voos diários realizados pela companhia aérea do governo. Outro diferencial é que não se pode simplesmente voar para o Butão e começar a circular pelo país. Para isso, é preciso contratar um guia. O objetivo é atrair apenas os turistas mais ricos, por isso é cobrada uma taxa diária de 200 dólares, a qual, após um impasse vivido pelo governo – e relatado pela autora –, passou para 250 dólares em 2010.
Em Rádio Shangri-lá, Lisa Napoli mostra o quanto a experiência afetou sua vida para sempre, e ainda oferece inspiração aos leitores. Afinal, de uma maneira ou de outra, todos estamos em busca de dias felizes. 




Livro: INACREDITÁVEIS
Autor: Sara Shepard
Tradução:Fal Azevedo
ISBN:978-85-7980-074-0
Páginas:352
Formato : 13,7x20,7
Série : Pretty Little Liars
Preço : R$ 32,50



Sinopse do Livro


Quarto livro da bem-sucedida série Pretty Little Liars que a Rocco publica no Brasil, Inacreditáveis mostra que “A”, a misteriosa figura que mandava e-mails e torpedos ameaçando revelar os segredos das ex-melhores amigas Spencer Hastings, Emily Fields, Hanna Marin e Aria Montgomery, não estava brincando. O novo volume se inicia com Hanna em coma, após ter sido atropelada propositalmente quando iria contar às outras três a identidade de “A”. Assustadas com a violência cometida contra a patricinha, as meninas ficam na dúvida entre ceder às chantagens de “A”, que promete machucá-las também, ou procurar a polícia, compartilhando as suspeitas de que a mesma pessoa que atormenta cada uma delas pode estar por trás da morte de Alison DiLaurentis, a quinta integrante do grupo que elas formavam na sétima série e cujo assassino nunca foi encontrado.
Incertas sobre o melhor rumo a tomar, as adolescentes têm de lidar também com seus próprios problemas. Emily, ainda tentando se adaptar à ideia de que gosta de meninas, é forçada pelos pais conservadores a abandonar o único lar que conheceu, a rica e pacata comunidade de Rosewood, na Pensilvânia, para morar com tios extremamente severos em Iowa. A mudança não dá certo, e a nadadora se vê perdida e com saudade de todos. Aria é obrigada a abrir mão de Ezra, o professor de literatura por quem é apaixonada, para que ele não seja acusado formalmente de envolvimento com uma menor de idade. A perda do amado só não dói mais do que ter que viver com o pai, Byron, na casa da nova namorada dele, Meredith. A mesma Meredith que destruiu sua família e conseguiu que Aria fizesse aulas de arte de graça na universidade local, onde a jovem reencontra Jenna Cavanaugh, a quem Ali acidentalmente deixara cega anos antes.
A vida familiar também anda difícil para Spencer. Consciente do erro ao ter plagiado um trabalho de economia da irmã, Melissa, a adolescente é levada pelos pais a continuar com a fraude para ganhar um dos mais importantes prêmios escolares americanos, o Orquídea Dourada. A perfeccionista estudante também precisa tentar reatar os laços de afetividade com Melissa, ainda que isso signifique confessar que teve um rápido envolvimento com um dos ex-namorados dela, Ian, anos atrás. Já Hanna tem esperanças de que seu acidente reaproxime sua mãe workaholic e seu pai distante, que parece disposto a fazer parte da vida da filha novamente. Sem se lembrar de nada do dia de seu atropelamento, ela tem sonhos estranhos, que parecem indicar pistas sobre o verdadeiro culpado pela morte de Ali, mas prefere se concentrar em voltar a ser a rainha da escola.
Estressadas, as garotas acabam desconfiando de tudo e de todos. Aria pensa que Spencer pode ter matado Ali, enquanto Spencer suspeita que Melissa é a responsável pelo crime. Emily fica estarrecida quando percebe indícios de que Maya, sua bela namorada, é capaz de estar por trás das ameaças que todas recebem. Mas, quando Mona Vanderwaal, a amiga inseparável de Hanna, decide organizar um baile de máscaras para comemorar a recuperação da menina, as quatro ex-amigas vão descobrir que “A” não mentiu: está – e sempre esteve – muito mais perto do que elas jamais poderiam imaginar e fará de tudo para destruir o quarteto.
As oito histórias de Sara Shepard para a série Pretty Little Liars mantiveram-se por mais de 25 semanas na lista dos livros mais vendidos do The New York Times. A trama foi adaptada para a TV americana em 2010 e estreou no Brasil em 2011 no canal a cabo Boomerang. 




Livro: TIGRE, TIGRE
Autor: Margaux Fragoso
Tradução:Ryta Vinagre
ISBN:978-85-325-2657-1
Páginas:352
Formato : 14x21
Preço : R$ 39,50



Sinopse do Livro


Tudo começou com uma inocente brincadeira com uma simpática família numa piscina pública de Nova Jersey. Margaux, então com apenas sete anos de idade, encantou-se ao avistar dois meninos brincando com o pai. A felicidade que eles irradiavam era tão sedutora que Margaux não resistiu: afastou-se da família e perguntou ao homem, cujo nome era Peter, se podia brincar com eles. A resposta afirmativa marcou o início de um sonho que acabou por transformar-se em pesadelo: um relacionamento doentio começaria entre Peter, então com 51 anos, e a pequena Margaux. Tigre, tigre é o assombroso relato em primeira pessoa desta história real. Elogiado pela crítica especializada pela sensibilidade e sinceridade com que trata um tema tão delicado, o livro traça um perfil sem precedentes da mente de um predador, pelo ponto de vista da vítima.
Margaux Fragoso e Peter Curran (nome fictício) protagonizaram um intenso relacionamento que durou 15 anos. Com apenas sete anos, Margaux foi seduzida por promessas de momentos felizes que se tornariam, com o tempo, ápices de angústia e agonia. O perfil de pedófilo de Peter lhe permitia criar situações que encantassem qualquer criança, ao oferecer um mundo de entretenimento que parecia sem fim. Era como se ele fosse uma criança com a sabedoria de adulto, possuidor do conhecimento que eternizaria um universo de brincadeiras.
Foi assim que Peter entrou na vida de Margaux e de sua família – a mãe, que tinha problemas mentais e que nada percebeu nas investidas de Curran sobre a filha, e o pai, alcoólatra que, eventualmente, entre momentos de lucidez, tentou afastar o pedófilo da filha, sem sucesso. A carência de Margaux por viver em uma família desestruturada ofereceu a Peter a possibilidade de manipular a menina e todos ao redor dela. Investido sempre de uma aura de respeitabilidade e amabilidade, o homem escondia seu lado mais sombrio, que Margaux conheceu muito bem.
No início, era tudo lúdico: as brincadeiras entre os dois marcaram o encanto da menina por Peter, que se tornou objeto de seu amor mais inocente e puro. Com o passar do tempo, os jogos e atividades tomaram outro rumo: no porão da casa de Peter, Margaux entregava todo seu afeto, e seu corpo, a ele. Nesta fase, Peter imaginava uma selva onde eles eram animais - Margaux era sempre o tigre –, e animais, obviamente, andavam e interagiam nus. Era uma relação viciante, no qual um era a droga do outro.
O passar do tempo, no entanto, também marcou uma importante transformação: à medida que Margaux crescia, e a sensação de vazio que indicava que algo estava errado também, Peter apelava ao perceber o distanciamento da menina: tentava agradá-la de todas as formas, chorava e escrevia cartas carregadas de chantagens emocionais, com ele ameaçando matar-se de tempos em tempos. Não adiantou: Margaux amadureceu e passou a ter um outro ponto de vista da relação. E Peter cumpriu a ameaça, cometendo suicídio aos 66 anos de idade.
Tigre, tigre é um relato que incomoda pela crueza e sinceridade da autora em expor seu ponto de vista – e o de Peter – desprovido de qualquer autopiedade, rancor ou julgamento de valor. Um livro único.