Lançamentos - Editora Rocco - #05#

Livro: CRIME
Autor: Irvine Welsh 
Tradução:Paulo Reis e Sérgio Moraes Rego
ISBN:978-85-325-2673-1
Páginas:416
Formato : 14x21
Preço : R$ 54,00 















Raymond Lennox tinha certeza de que estava entrando numa área de turbulência. E Trudi, sua bela e esguia noiva, cabelo cortado à altura dos ombros, ignorava o seu desconforto. Enquanto ele viajava apertado, naquele assento da classe econômica, num voo de férias em direção a Miami Beach, sua mente parecia lhe preparar uma armadilha. Dentro em pouco, apesar da insistência de seu chefe de que descansasse e planejasse o casamento com sua bela parceira, ele se lembraria mais uma vez, obsessivamente, do assassinato da pequena Britney Hamil, um complicado caso ocorrido em Edimburgo, na Escócia. É neste clima, beirando a obsessão, que se constrói a trama de Crime, o novo livro do romancista escocês Irvine Welsh, conhecido desde Trainspotting, que deu origem ao polêmico filme de Danny Boyle.
A trama, conduzida com a maestria de quem sempre dominou temas inquietantes, faz referências às obras anteriores, mas apresenta um Welsh ainda mais senhor de sua prosa, explorando com maestria o contraste entre a beleza solar da Flórida e o seu submundo. Drogas, sexo e violência aparecem em cidades diferentes como Miami e Edimburgo e são desenhados com precisão, através das ações e pensamentos de Lennox, o policial deprimido, quase um anti-herói, incapaz de lidar com o cotidiano e com o relacionamento em crise com a noiva.
A ação se passa em dois tempos, convidando o leitor a acessar as memórias e pensamentos de Lennox. Há, na construção do romance, a reconstituição de um crime no passado, feito através das lembranças do que ocorreu em Edimburgo. E nesta recordação emergem personagens marcantes como Angela, a mãe desequilibrada da pequena Britney, vítima de pedofilia. Mas é no momento presente, em Miami, que se percebe o quanto Raymond Lennox se esforça para se reconstruir, o quanto seus vícios e medos ainda o dominam e também a fragilidade das suas relações pessoais como, por exemplo, a amizade do policial Ginger e sua esposa Dolores.
Welsh também não perde no novo livro o tom escatológico e a ironia encontrados em Pornô, por exemplo, outro trabalho relevante do conjunto de seus romances. A cena do cachorro sendo engolido por um jacaré é descrita com crueldade e humor, mas ao mesmo tempo esconde conteúdos simbólicos. Mas é a construção da psicologia de Raymond, um homem essencialmente atormentado por si mesmo, o trunfo que conquista o leitor ao longo das páginas. Ao mesmo tempo que o personagem é capaz de empenhar todo o seu talento de policial e investigador para desbaratar uma rede de pedofilia, ele também guarda a sete chaves um segredo perturbador.
Em Crime, Irvine Welsh compõe um romance em que o ritmo eletrizante anda surpreendentemente de mãos dadas com a sobriedade com que toca em questões delicadas. E mostra que a violência, ora praticada, ora recebida, borra no íntimo de cada um a linha entre as boas e as más intenções.


Livro: A CIDADE DOURADA
Autor: John Twelve Hawks 
Tradução:Alyda Sauer
ISBN:978-85-325-2639-7
Páginas:368
Formato : 14x21
Preço : R$ 44,50









O jovem Gabriel Corrigan, depois de descobrir que é um Peregrino, capaz de viajar entre dimensões além da Terra, decide lutar com todas as forças contra o poder da Tábula, uma misteriosa organização determinada a controlar em segredo a população por meio da tecnologia em A cidade dourada, terceiro e último volume da Trilogia do Quarto Mundo, de John Twelve Hawks. À moda de 1984 – aqui, o Grande Irmão do clássico de George Orwell ganha sua versão mais antenada com os dias atuais: a Grande Máquina.
Com seus amigos e aliados fora de alcance – o professor de luta Hollis e sua protetora, a guerreira Maya, um relutante membro dos Arlequins, grupo que há gerações assumiu a tarefa de proteger os Peregrinos –, Gabriel tenta se articular como líder da Resistência, formada por aqueles que querem viver livres do controle da Tábula. Ao mesmo tempo, seu irmão Michael, um Peregrino que optou por tentar controlar a humanidade para sempre, põe em ação um plano perverso para se tornar o líder absoluto da organização e ter o mundo inteiro em suas mãos. Para que um ou outro alcancem a vitória, porém, é preciso descobrir o que lhes reservam os deuses que habitam uma dimensão chamada “A cidade dourada”. Quem dominar o poder divino primeiro, vencerá.
Se no primeiro volume da saga, O Peregrino, o autor apresenta os personagens deste eletrizante e elogiado thriller de fantasia e ficção científica, e no segundo livro, Rio escuro, Twelve Hawks define quem joga de que lado do tabuleiro, A cidade douradagarante um desfecho surpreendente para a história dos irmãos Corrigan. Antes de movimentar a Resistência, Gabriel deve resgatar sua protetora Maya de um mundo infernal, no qual a população está permanentemente em guerra. Uma grande guerreira, a Arlequim resiste bravamente às violentas investidas dos demônios da dimensão do Rio Escuro, mas nem ela pode ser capaz de suportar tamanha maldade concentrada em um único mundo.
Enquanto Gabriel se divide entre o dever da liderança e o resgate a Maya, seu irmão mais velho, Michael, embarca numa viagem às dimensões paralelas, e se impressiona com uma sociedade regida por semideuses, que controlam a população com sofisticada tecnologia – muito mais avançada que a humana – e não permitem vozes dissonantes. Enquanto traça o rumo que o levará à vitória, Michael dá sua cartada final, criando medo na população por meio de atos terroristas em vários países.
Comparada a 1984 e ao sucesso Matrix, a Trilogia do Quarto Mundo apresenta grandes teorias sobre livre-arbítrio e determinismo, controle da sociedade e dimensões alternativas, numa prosa com imagens poéticas que faz lembrar monstros sagrados da ficção científica como Ray Bradbury ou Philip K. Dick. Mas a série também chama a atenção da mídia por outro motivo: ninguém teve contato direto com John Twelve Hawks (que não é o nome verdadeiro do escritor e, traduzido para o português, seria algo como João Doze Falcões), nem mesmo seus editores americanos e seu agente. Ele vive "desconectado" e recluso do mundo propositadamente, para evitar ser monitorado pelo governo norte-americano, que, segundo Twelve Hawks, usa a tecnologia para rastrear cada passo das pessoas.


Livro: MINHAS VIZINHAS
Autor: Claudia Priano 
Tradução:Mario Fondelli
ISBN:978-85-325-2619-9
Páginas:256
Formato : 14x21
Preço : R$ 34,50








Margherita sente-se perdida em meio às caixas que enchem a sala do apartamento novo. Acaba de sair de uma crise, mas ainda sente-se abalada. Percorre os cômodos, tentando pensar no que arrumará primeiro. De repente, um ruído baixinho, vindo do apartamento vizinho, a distrai. Parece ser uma mulher chorando. Cola o ouvido na parede e assusta-se com o que vem em seguida. Agora o barulho é forte e um homem grita, objetos se quebram, a mulher chora alto.
Incrédula e aterrorizada, fica sem saber a decisão certa a tomar. Bater na parede, ligar para a polícia, gritar com todas as forças. Poderia perguntar para Sergio, o companheiro com quem vai dividir o apartamento, mas ele está muito longe. Sergio é fotógrafo, correspondente de guerra, e neste momento cobre mais uma delas no Afeganistão. Ela então resolve confrontar os outros moradores do edifício, mas, para sua surpresa, recebe um sorriso cordial e dissimulado, como se nada tivesse acabado de acontecer, e hostilidade por parte da vizinha, Anna.
Margherita é a protagonista de Minhas vizinhas, primeiro livro da italiana Claudia Priano a chegar ao Brasil. Ao longo das páginas, a autora revela os segredos da personagem, uma escritora que procura afastar o fantasma da depressão ao se mudar, e sua lenta adaptação à nova realidade. Vai além, porém, ao tocar em um assunto complexo, a violência doméstica. Momentos de delicadeza e solidariedade entre mulheres intercalam-se com outros, violentos e assustadores, diante dos quais nem sempre é possível saber qual a melhor forma de agir.
Diante da reação inesperada de Anna, Margherita resolve se recolher e ignorar o que se passa atrás das paredes. Os dias vão passando e, com a ajuda rabugenta da prima Irene, vai colocando tudo no lugar. Da janela de sua nova casa, avista uma vizinha solitária que leva os dias passando roupa; nas saídas à rua, depara-se também com outras vizinhas, e aos poucos vai se inserindo nesse mundo novo, repleto de vidas, histórias e experiências diferentes.
Minhas vizinhas envolve o leitor desde a primeira página e instiga a reflexão, mesmo que não de forma explícita, sobre os vários tipos de dramas vividos por mulheres entre quatro paredes.


Livro: A FERA NA SELVA
Autor: Henry James 
Tradução:Fernando Sabino
ISBN:978-85-7980-073-3
Páginas:96
Formato : 13,7x20
Coleção : Novelas Imortais
Preço : R$ 19,50







Uma fera emboscada na selva, pronta a saltar sobre ele a qualquer momento.” Essa era a sensação que John Marcher carregava desde que nasceu, e que – depois de anos ele viria a descobrir – era um segredo compartilhado por mais uma única pessoa, May Bartram. O encontro inesperado em Weatherend, e o fato de ela saber sobre oacontecimento que o espreitava, conduziu uma atraente ligação entre eles, multiplicando-se em encontros cada vez mais reveladores.
Em A fera na selva – mais um título da coleção Novelas Imortais, idealizada por Fernando Sabino, a chegar às livrarias em novo e ousado projeto gráfico pelo selo Rocco Jovens Leitores –, o renomado escritor inglês Henry James compôs uma obra-prima da literatura universal, fascinante e terrível ao mesmo tempo. Fazem parte da coleção outras narrativas breves de grandes autores de clássicos universais como Miguel de Cervantes, Herman Melville, R. L. Stevenson, Gustave Flaubert, E. T. A. Hoffmann, entre outros.
Por vários anos, John Marcher acreditou guardar discretamente a sua “carga pesada”, sem jamais tocar no assunto, para que os outros não ficassem tão assombrados quanto ele sempre esteve. Se o resto do mundo o considerava esquisito, somente May Bartram sabia como e, acima de tudo, por que esquisito.
Uma coisa os uniu sem que eles soubessem. Enquanto envelheciam juntos, John e May mantinham uma relação de amizade e fidelidade que se tornara indispensável, à espera vigilante de que uma coisa extraordinária acontecesse.
Na obra, passado, presente e futuro são entrelaçados em uma trama articulada e envolta de mistérios, sob uma narrativa psicológica. De fato, alguma coisa tinha estado para acontecer, e o que vinha a ser a “Fera na Selva” poderia representar algo aterrorizador, porém de um destino comum e inevitável.




Livro: AS SURPRESAS DO PEQUENO NICOLAU
Autor: René Goscinny e Jean-Jacques Sempé 
Tradução:Pedro Karp Vasquez
ISBN:978-85-7980-059-7
Páginas:160
Formato : 14x20,5
Preço : R$ 20,00




Os imprevistos do dia a dia podem se tornar aventuras deliciosas sob o olhar ao mesmo tempo ingênuo e perspicaz do Pequeno Nicolau e de seus amigos. Como mais um presente aos leitores do célebre personagem criado por René Goscinny e Jean-Jacques Sempé, As surpresas do Pequeno Nicolau chega agora pela Rocco, trazendo histórias inéditas do clássico francês.
Quinto de uma série de oito volumes, o livro aborda a forma engraçada como Nicolau encara os acontecimentos do cotidiano, elevando os eventos mais triviais a algo espantoso e deslumbrante. O menino esperto e bagunceiro – mas de uma ingenuidade comovente – surpreende e encanta os pais, amigos e vizinhos com sua espontaneidade, fazendo da obra uma verdadeira caixinha de surpresas também para os leitores.
Desde 1959, a série O Pequeno Nicolau vendeu mais de nove milhões de exemplares na França e ganhou traduções em 37 línguas. Tão popular quanto seu conterrâneo O pequeno príncipe, o personagem criado por Goscinny e Sempé ganhou uma série de homenagens na França em seu cinquentenário, em 2009, e foi parar inclusive nas telas de cinema no longa O Pequeno Nicolau, dirigido por Laurent Tirard.
As histórias inéditas da dupla, editadas por Anne Goscinny, filha do escritor, em parceria com o ilustrador Sempé, ultrapassaram a marca de um milhão de exemplares vendidos na França desde que foram lançadas, em 2009. Da série, a Rocco publicou também A volta às aulas do Pequeno NicolauAs brincadeiras do Pequeno NicolauOs vizinhos do Pequeno Nicolau e A viagem do Pequeno Nicolau.







2 comentários:

  1. Li resenhas ótimas de livros,que delicia ,adoro ler!

    bjs e obrigado por se tornar uma seguidora do meu blog!

    ResponderExcluir
  2. @Paulo/Expresso Moda
    Que bom que gostou do meu post e de minhas resenhas. Adoro ler, essa é minha maior paixão.
    Obrigada por seguir meu blog e por ter comentado.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário. Ele é muito bem-vindo. E, vai me fazer muito feliz. =)