Lançamentos - Editora Rocco - #06#

Livro: TUDO DESTRUÍDO, TUDO QUEIMADO
Autor: Wells Tower 
Tradução:Adriana Lisboa
ISBN:978-85-325-2663-2
Páginas:256
Formato : 14x21
Preço : R$ 39,50 







A temporada numa casa de praia onde um homem de vida recém-devastada fora buscar refúgio acaba se transformando numa sequência de pequenos e desconcertantes acidentes; o reencontro de dois irmãos separados pela distância e por anos de discórdia desenrola-se numa caçada nas montanhas, onde o mais velho abate um alce doente; um crime sexual contra uma criança vira o ponto de partida para um giro inusitado pelos bastidores de um parque de diversões, descortinando um universo sombrio habitado pelos mais diversos tipos de desajustados.

Pelos nove contos de Tudo destruído, tudo queimado, desfilam personagens tocados pela má sorte. Relações fracassadas, competições em família, traições, abandono – os gêneros mais corriqueiros de amargura estão à espreita, página a página. O jeito como pegam o leitor de surpresa, porém, está menos na sua imprevisibilidade do que na forma lírica, bem-humorada e minuciosa como são esquadrinhados.

Por isso, o livro de estreia do jornalista Wells Tower foi aclamado pela crítica americana sob a égide de adjetivos os mais diversos, do “delicado” ao “brutal”. De uma forma ou de outra, muitos olhares sobre a obra se mostraram desconcertados pelo carinho e a ternura com os quais o autor descreve a dor, a solidão e a raiva de seus personagens, deixando evidente, já em sua estreia, um inabalável estilo próprio. O The New York Times resumiu: “Tudo destruído, tudo queimado perfila Tower decididamente no rol de escritores de talento raro.” E a New Yorker o incluiu em sua prestigiosa seleção dos 20 escritores com menos de 40 anos que representam o melhor da ficção norte-americana atual.

Em comum entre os protagonistas de suas histórias, uma característica prosaica: eles só querem um pouco de paz. Mas, por uma sucessão de acasos, detalhes que entram na trama como uma mosca no enquadramento, essa busca por paz acaba se transformando em mais infelicidade.

Como em “Leopardo”, no qual um menino se faz de doente para escapar do dia na escola. Em casa, porém, esbarra na desconfiança obsessiva do padrasto, enquanto é assombrado pela possibilidade ao mesmo tempo excitante e assustadora de ter um leopardo passeando pelo seu quintal. Ou em “Pelo vale”, onde um homem atende ao pedido da ex-mulher para resgatar seu marido atual, acidentado, em um retiro espiritual nas montanhas. A viagem de carro, porém, se transforma num pesadelo.

Dos nove contos do livro, apenas um não se passa nos Estados Unidos contemporâneo, e é ele que dá título ao livro. Em “Tudo destruído, tudo queimado”, um grupo de vikings viaja até uma ilha pequenina, de onde acreditam que estejam lhes mandando dragões e pragas da lavoura. No vilarejo, empreendem sua habitual festa de crueldades, com mutilações, saques, incêndios e assassinatos. Em foco na narrativa, porém, não estão os ângulos da barbárie, e sim as trilhas de insegurança, hesitação, ternura, solidão. Um dos vikings se apaixona por uma aldeã, e a leva com ele. Outro, o protagonista, só quer voltar para casa e passar as tardes ao lado da esposa, vendo as mudanças de cores do fiorde defronte. Quando enfim retornam ao continente, é esse protagonista quem resume a angústia que permeia todas as histórias. O perigo é familiar, e ronda todas as casas, todas as vidas; ele pode estar remando em sua direção.


Livro: O GUIA DE SOBREVIVÊNCIA A ZUMBIS
Subtítulo: Ataques registrados
Autor: Max Brooks e Ibraim Roberson 
Tradução:Leonardo Villa-Forte
ISBN:978-85-325-2646-5
Páginas:144
Formato : 15,5x22,5
Preço : R$ 24,50 





Os registros de ataques de mortos-vivos podem ser mais antigos do que se imagina. Pesquisas e achados arqueológicos mostram há 60.000 anos a.C. o que pode ser o primeiro contato da humanidade com os zumbis, fato que comprova a tese de que o homem enfrenta esta ameaça por milênios. Em O guia de sobrevivência a zumbis – ataques registrados, o aclamado autor Max Brooks mostra a presença de zumbis em toda a história da humanidade. Contando com o auxílio do brasileiro Ibraim Roberson e seus desenhos marcantes, Brooks compila uma impressionante lista dos mais conhecidos ataques de zumbis ao longo dos séculos, em uma graphic novel na qual ononsense é o grande protagonista.

Começando nas savanas africanas e passando pelas legiões romanas e as viagens do pirata Francis Drake, até experimentos soviéticos da época da guerra fria, este livro leva o leitor a uma jornada assustadora, e muito bem-humorada, pela história da humanidade. O leitor toma conhecimento de inúmeros horrores cometidos pelos mortos-vivos, que quase levaram à destruição total da raça humana.

O americano Max Brooks mostra que herdou o talento para a comédia absurda do pai, o comediante Mel Brooks. Afinal, quem mais seria capaz de imaginar um ataque de zumbis sendo rechaçado por ninjas no Japão feudal?

Com muito bom humor e sarcasmo, Brooks afirma que os zumbis existem de fato e continua a narrar as escaramuças entre os mortos-vivos e os homens, a exemplo de seus livros anteriores, O guia de sobrevivência a zumbis e Guerra mundial Z, ambos publicados pela Rocco. Mas desta vez as grandes estrelas são as ilustrações de Ibraim Roberson. Com um traço detalhista e cheio de referências, o brasileiro produz uma graphic novel de alto nível. Com um texto enxuto, toda a narrativa é feita a partir do trabalho impressionante de brasileiro e seu cuidado com os detalhes.

O guia de sobrevivência a zumbis – ataques registrados é uma graphic novel essencial para quem gosta de quadrinhos e de zumbis. E um livro para quem nunca leu um quadrinho na vida, mas gosta de ação. Uma obra, enfim, para todos apreciarem e colocarem na estante.


Livro: UMA BELA ESCAPADA
Autor: Anna Gavalda 
Tradução:Pedro Afonso Vasquez
ISBN:978-85-325-2669-4
Páginas:144
Formato : 12,5x20
Preço : R$ 25,00 








Para lembrar o leitor de que a vida é feita de momentos, o novo romance da francesa Anna Gavalda, autora de Enfim, juntos, adaptado para o cinema por Claude Berri, retrata algumas boas horas na vida de quatro irmãos. A caminho do casamento de um primo distante, Simon, Lola e Garance, que vivem nos arredores de Paris, estão claramente contentes, mais pela possibilidade de se reunirem depois de tanto tempo separados do que propriamente pela cerimônia que está para ser celebrada. Mas ao chegarem à pequena cidade onde seria realizado o casamento se decepcionam ao saber que o caçula, Vincent, não pudera ir, por estar trabalhando.

Enquanto estão num bar próximo à igreja bebericando à espera da celebração, Simon tem a ideia de abandonar o casamento dos parentes com as duas irmãs e irem passar o dia no antigo castelo medieval onde Vincent trabalha como guia turístico. Sem titubear, os três irmãos entram no carro e, em questão de minutos, estão novamente na estrada, com o rádio ao som de Bee Gees cantando “And we’re stayin’alive...”.

Uma bela escapada é uma deliciosa viagem de volta à infância e adolescência desses quatro irmãos que, apesar de estarem separados pelas imposições da rotina diária, deixam de lado os problemas do cotidiano para aproveitar ao máximo a improvisada reunião familiar.

Juntos, os quatro se divertem, vão ao casamento de uma desconhecida, participam de uma festa num acampamento cigano, fazem piquenique, tomam banho de rio e, mais do que tudo, riem da vida e de si mesmos, antes de regressarem para o corre-corre do dia a dia.
Se, inexoravelmente, “o tempo separa aqueles que se amam e nada dura para sempre”,Uma bela escapada tem o poder de ao menos roubar-lhe algumas horas e eternizá-las na memória dos quatro protagonistas, que, ao revisitarem seu passado, acabam se reconciliando com o presente e reinventando seu futuro.


Livro: FABLEHAVEN II
Subtítulo: A ascensão da estrela vespertina – Volume II
Autor: Brandon Mull 
Tradução:Alexandre D’Elia
ISBN:978-85-7980-066-5
Páginas:480
Formato : 13x19
Ilustração : Brandon Dorman
Série : Fablehaven
Preço : R$ 59,50 




Conheça o site de Fablehavenwww.fablehaven.com.br

O que deveria ser o início de férias tranquilas, ao final do ano letivo na Roosevelt Middle School, se transforma em uma terrível e perigosa missão para os irmãos Kendra e Seth. As criaturas míticas do santuário de Fablehaven – entre gnomos, fadas, bruxas e diversos seres encantados – estão ameaçadas de extinção, desta vez por uma entidade maligna com sede de poder.

A ascensão da Estrela Vespertina é a segunda de cinco obras da série Fablehaven, criada por Brandon Mull. Na trama, novas e perversas criaturas pertencentes a uma certa Sociedade da Estrela Vespertina se articulam para driblar os jovens em uma aventura ainda mais mágica e eletrizante do que a primeira.

Tudo tem início quando um inesperado aluno novo entra na escola na última semana de aula. Do tipo bonitão, engraçado e bom de papo aos olhos da turma, o aluno novo faz sucesso na escola, principalmente entre as meninas. Menos para Kendra. Sua habilidade herdada em Fablehaven, por um encanto das fadas, permitia-lhe a visão real da forma e do que aquele estranho aluno representava.

Para ela, o “sr. Novela das Oito”, na verdade, mal parecia um ser humano: “tinha um couro cabeludo calvo e escabroso e um rosto que mais parecia um vergalhão fendido. Seus olhos eram gretas franzidas, seu nariz uma cavidade deformada, sua boca desprovida de lábios e áspera, dedos tortos e encrespados de verrugas inchadas. (...) Pus escorria de múltiplas feridas em sua nuca sarnenta”. E o que seria, lamentavelmente, descoberto depois: um hálito de cachorro morto.

Tendo de superar um pânico latente e assumindo a enorme responsabilidade de conhecer e ter de zelar por Fablehaven, Kendra e Seth recebem a ajuda de especialistas. Um preparador de poções, um colecionador de artefatos mágicos, uma criadora de animais exóticos e a sabedoria dos avós Sorenson – proprietários da reserva – são compilados na desafiante tarefa de encontrar uma relíquia misteriosa e decisiva para o sucesso da missão. A jornada torna-se ainda mais intrigante quando surge um traidor entre eles.


Livro: UMA FERA FEROZ
Subtítulo: Dois alienígenas, três inventores, quatro histórias fantásticas
Autor: Garth Nix 
Tradução:Rafael Mantovani
ISBN:978-85-7980-055-9
Páginas:224
Formato : 13,7x20,7
Preço : R$ 29,50 





De autoria de um dos maiores escritores de obras infantojuvenis da atualidade, Garth Nix, Uma fera feroz reúne quatro histórias criativas e engraçadas, que se cruzam de forma sutil em uma narrativa ágil e envolvente. Alguns objetos e personagens reaparecem, assumindo outras posições. Entre eles, ratos piratas, bruxas e magos, alienígenas, serpentes gigantes e outros seres dignos de um mundo encantado, onde a imaginação tem passe livre. Todos os contos apresentam lugares e personagens com nomes curiosos.

No primeiro, o menino Peter se junta a um grupo de ratos piratas da Marinha Ratífica Real para recuperar alguns DVDs roubados pelos ratos que praticam pirataria. Dividido em dois mundos – Lá-em-Cima e Mundo do Nunca – Peter segue a bordo do navioTimão de Aço contra a tripulação de Pão-na-Chapa, capitão do navio Gaveta Bagunçada. Para enfrentar um capitão cuja poderosa arma era um pão fino e petrificado, Peter sabia que somente algo macio e grudento poderia detê-lo.

No próximo conto, a princesa Clorinda – Rinda – está sempre inventando histórias de monstros, bichos e anões malignos que viajavam acompanhados de dragões. Não é difícil imaginar que ela inventaria alguma história terrível transformando o seu porco de estimação.

Com pais sempre muito ocupados para lhe dar atenção – uma rainha guerreira e um rei mago que vestia uma capa coberta de estrelas prateadas –, Rinda achava tudo muito chato e monótono, e foi em busca de algo medonho e emocionante. Por “sorte”, acabou no estômago de um monstro. Mas, no lugar de encontrar fedores, cheiros e ácidos capazes de dissolver uma pessoa em poucas horas, ela descobriu algo surpreendente. E a aventura começou.

O terceiro conto narra a exótica trajetória de Bill, desde que foi encontrado, ainda bebê, na rua, embrulhado em uma enorme casca de banana. Ele foi deixado no Lar O’Squealin, onde cresceu feliz e desenvolveu seu talento como inventor. Uma das suas engenhosidades era uma máquina de servir sucrilhos na boca, usando seis elásticos, uma colher e quatro dos ratos que moravam no sótão correndo dentro de uma roda. Alguns casais nada convencionais apareceram para adoção, e Bill pôde desvendar o mistério da casca de banana.

Serena Smith – a caçula superdotada das dezessete filhas de Sam e Suzan Smith – protagoniza o último conto. Para afastar uma serpente marinha – que destruía os barcos de Blubber Point –, a prefeita da cidade pediu que uma criança fosse lançada como isca para que o monstro fosse embora; todas as cidades fizeram isso, mas nenhuma das outras crianças tinha sido vista novamente. Corajosa, Serena se candidatou. Ela descobriria algo curioso sobre os hábitos alimentares daquela serpente, e o destino das outras meninas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário. Ele é muito bem-vindo. E, vai me fazer muito feliz. =)