Lançamentos - Editora Rocco - #08#


Livro: DE AMOR E MALDADE
Autor: Anne Rice 
Tradução:Alexandre D'Elia
ISBN:978-85-325-2190-3
Páginas:176
Formato : 16x23
Preço : R$ 24,00




Sinopse do Livro


Em De amor e maldade, segundo volume da série As Canções do Serafim, iniciada comTempo dos anjos, a veterana escritora Anne Rice, mais de 75 milhões de livros vendidos em três décadas de carreira, retoma a saga de Toby O’Dare, o ex-assassino de aluguel que continua sua árdua jornada em busca da redenção após dez longos anos de crimes com a ajuda do serafim Malchiah – um anjo da mais alta hierarquia – e com seu próprio anjo da guarda, Shmarya. Com seu talento singular para lidar com o sobrenatural, Rice troca os vampiros pelos anjos e mostra que continua uma imbatível contadora de histórias nesta trama dotada de magnífica reconstituição histórica e instigantes questionamentos metafísicos.
Depois de ser enviado à Inglaterra do século XIII em Tempo dos anjos, dessa vez, o rapaz volta à Roma do século XV. Uma cidade efervescente que tem Leo X no trono papal e Michelangelo e Rafael trabalhando em toda sua glória, e onde Toby atende ao chamado de Vitale ben Leone, um jovem erudito e médico judeu encarregado de salvar a vida de Niccolò, seu melhor amigo e filho do respeitado Signore Antonio. Niccolò adoeceu subitamente, e seu estado se agrava a cada nova visita de Vitale, o que desperta na população majoritariamente católica uma onda de antissemitismo e ameaça acabar com a frágil tolerância religiosa estabelecida pelo papa. Cabe ao protagonista ajudar não só na cura do doente como, também, solucionar o mistério de um dubbyk – um fantasma – que assombra a residência do médico.
Enquanto tenta cumprir sua tarefa e evitar que a fúria da intolerância se abata sobre a comunidade judaica romana, Toby se vê assediado por um enviado das forças do Mal, Ankanoc, determinado a abalar sua crença no Senhor. À fé para resistir a mais essa provação junta-se à imensa vontade que o ex-assassino tem de se devotar ao Bem, conseguir o perdão de seus pecados e encontrar uma maneira de viver com Leona, uma antiga paixão de adolescência e o filho deles, também chamado Toby, cuja existência o jovem desconhecia. Os profundos sentimentos pela moça e o garoto e a certeza do amor divino dão a Toby a força interior que ele precisa para continuar na trilha da absolvição.





Livro: SUÍTES IMPERIAIS
Autor: Bret Easton Ellis 
Tradução:Ryta Vinagre
ISBN:978-85-325-2674-8
Páginas:176
Formato : 14x21
Preço : R$ 26,50 





Sinopse do Livro 

Vinte e cinco anos depois do surgimento do clássico cult Abaixo de zero, o universo inaugural de Bret Easton Ellis está de volta. Suítes imperiais, a mais recente obra do escritor californiano, retoma os personagens de seu romance de estreia. Os jovens ricos enredados num mundo de sexo, drogas e violência - que dizia muito sobre os anos 80 – agora têm o dobro da idade e são profissionais bem-sucedidos da indústria do entretenimento. Mas continuam mergulhados em promiscuidade, desencanto e violência.
Abaixo de zero, lançado originalmente em 1985, tornou-se rapidamente o ícone da vertigem pelo vazio de toda uma geração. Arrebanhou uma legião de fãs, e alçou Easton Ellis, com apenas 21 anos de idade, à categoria de talento precoce e autor de um dos livros mais marcantes de sua geração. O romance foi transformado em filme em 1987, com direção de Marek Kanievska e Robert Downey Jr. num dos papéis principais.
No livro de 1985, Clay, Julian e Blair são três amigos recém-saídos da faculdade, que experimentam uma rotina de vícios, sexo e vazio existencial, numa narrativa hiper-realista. Em Suítes imperiais, Clay é agora um roteirista de sucesso, que está de volta a Los Angeles após uma temporada em Nova York. Vai começar a rodar o seu novo filme em breve, mas, enquanto isso, passeia pelo seu antigo círculo de amizades, numa jornada infinita de festas e eventos. Sua ex-namorada, Blair, está casada com Trent, um influente produtor de cinema. Julian está tentando se recuperar do vício das drogas e do álcool, e tem uma aura de mistério ao ser redor.
Narrador do romance, contado em primeira pessoa, Clay está atordoado por uma paranoia. Sente-se vigiado, o perigo à espreita. Ora é um Jeep azul que o persegue, ora são os objetos de seu apartamento no Doheny Plaza que parecem ter mudado de lugar. A situação piora quando ele conhece Rain Turner, uma jovem atriz de pouco talento que faria de tudo para conseguir um papel em seu filme, e por quem Clay fica obcecado.
Uma rede de prostituição de adolescentes, casos múltiplos entre os personagens, assassinatos, espancamentos e ameaças redesenham, no dia a dia de Clay, o clima noirque já havia sido elogiosamente apontado em Abaixo de zero. Uma atmosfera de suspense que ganha sofisticação ao se aproximar do jogo metaficcional. Quem redige o roteiro desse salto sobre o vazio, afinal? “Fizeram um filme sobre nós. O filme se baseava num livro escrito por um conhecido nosso”, diz Clay, nas duas primeiras frases do romance, insinuando um jogo que se mantém vivo – e eficaz – até a última página.


Livro: AMBIGUIDADE
Autor: Simona Argentieri 
Tradução:Y. A. Figueiredo
ISBN:978-85-325-2685-4
Páginas:160
Formato : 12x19
Preço : R$ 22,50 





Sinopse do Livro 

O conceito de normalidade não é algo natural, normal, portanto, na vida humana. A subjetividade nos envolve e dela retiramos a beleza de nossas diferenças culturais, étnicas, raciais, políticas e psicológicas. Porém, só existe o belo se em contrapartida temos a noção do feio. E assim é para todas as coisas. A tudo podemos distinguir melhor e com mais clareza se soubermos o seu contrário ou oposto: mais e menos, sombra e luz, direita e esquerda, certo e errado, morto e vivo. Mas fazer coexistir dois destes pensamentos antagônicos num mesmo período de tempo e espaço pode levar ao conflito. É justamente a zona de sombra entre o pensamento e a ação que o acompanha, o que a autora chama de “má-fé”, a figura central de Ambiguidade, da psicanalista italiana Simona Argentieri.
Partindo fundamentalmente de sua larga experiência clínica, a autora relata casos em que a má-fé está presente no dia a dia de seus pacientes. Há uma ambiguidade do pensamento que evita o conflito interno como se o sujeito não quisesse se responsabilizar pelo que ele vê, pensa ou faz. Tal falta de comprometimento, porém, gera problemas éticos: a má-fé como neurose parece ser uma solução de compromisso sintomática entre aquilo que o sujeito sabe que deveria fazer e o que ele realmente faz. Como aponta o poeta Affonso Romano de Sant’Anna no prefácio, “Neste contexto, surge a efemeridade teórica e social de nossa época, o relativismo: as verdades e mentiras se equivalem”.
De acordo com a autora, a mentira, o cinismo e a hipocrisia perderam status de algo imoral, pois a educação dos pais tornou-se frouxa por serem eles próprios representantes da antiga autoridade que ainda parece dizer: “façam o que eu digo, mas não façam o que faço.” Se os próprios pais já não conseguem ser exemplo para os filhos, suas palavras caem por terra. Esta permissividade tem produzido “pais maternos”, isto é, pais fracos em sua missão de fazer existir o desejo de transmitir aos filhos os limites e suas consequências. Daí surge a má-fé como crime. Crime sem castigo.
Filhos autoritários, crianças com diversos transtornos de ansiedade, angústia, medo, pânico, fobias derivados da desorientação na vida. Há uma clínica do excesso. Um distúrbio grave na compulsão à repetição. Não que se queira, como a própria autora adverte, ser juiz para julgar moralmente os casos. Mas como ajudar no caminho de cada um? Há um erro para os que acham que grande liberdade estaria em poder ter tudo. A maior liberdade que o ser humano pode ter é a possibilidade de saber escolher. E este livro é uma bela escolha, não só para os profissionais da área, mas para todos os que se preocupam em pensar suas ações não sem o outro.


Livro: PERVERSAS
Autor: Sara Shepard 
Tradução:Fal Azevedo
ISBN:978-85-7980-081-8
Páginas:328
Formato : 13,7x20,7
Série : Pretty Little Liars
Preço : R$ 32,50 




Sinopse do Livro 

Assinada por Sara Shepard, a série Pretty Little Liars chega ao seu quinto título publicado pela Rocco. Em Perversas, o leitor recebe um vislumbre do passado e como a amizade entre as cinco protagonistas começou.
Desde a preparação para o ritual da Cápsula do Tempo – tradição na escola desde 1899 –, a popular Ali havia encontrado quatro novas melhores amigas: Spencer, Hanna, Emily e Aria. Com o seu desaparecimento e morte, a vida das meninas do Colégio Rosewood Day nunca mais foi a mesma, e a amizade entre elas também não.
Revirando alguns pertences, Spencer, Hanna, Emily e Aria encontraram as pulseiras deixadas por Ali de presente como um símbolo da amizade que as unia. O que elas não sabiam era que “a coisa com Jenna” era um segredo que Ali estava escondendo delas próprias, e que foi descoberto após sua morte.
A partir de uma espécie de terapia do luto, as amigas se reúnem e fazem rituais simbólicos para enterrar as lembranças da amiga assassinada, na expectativa de que todos os “fantasmas” que as assombram desapareçam, entre eles as misteriosas e ameaçadoras mensagens assinadas por “A” que elas vinham recebendo.
Com o julgamento de Ian Thomas, namorado secreto de Ali, Hanna, Spencer, Emily, e Aria tentam aos poucos resgatar uma vida normal. Mas quando se imagina que o caso da misteriosa “A” está resolvido, as mensagens enigmáticas recomeçam, e eventos bizarros acontecem. As mensagens de agora são ainda mais aterrorizantes do que as anteriores, sendo algumas acompanhadas de fotos reveladoras. O emissor parece rodeá-las sorrateiramente.
Perversas compõe a série de oito histórias de sucesso que já vendeu mais de 2 milhões de exemplares apenas nos Estados Unidos e deu origem ao seriado homônimo na TV, exibido no Brasil pelo canal Boomerang.


Livro: OS SETE ENFORCADOS
Autor: Leonid Andreiev 
Tradução:Eliana Sabino
ISBN:978-85-7980-069-6
Páginas:168
Formato : 13,7x20
Preço : R$ 24,50 




Sinopse do Livro 

Qual é o sentido da existência? Sabe-se que o fim é inevitável. Mas é ainda mais inevitável para aqueles que o esperam com hora marcada. Em Os sete enforcados, mais um título consagrado da coleção Novelas Imortais – idealizada por Fernando Sabino –, o novelista russo Leonid Andreiev traz uma obra emocionante e sombria, cujo personagem principal é a morte.
A trama envolve o polêmico tema da pena de morte, nos moldes de um regime ditatorial sanguinário. Discutindo o sentido da vida a partir do cárcere, a história dramática de homens e mulheres condenados à forca arrebata o leitor, que se torna testemunha das incertezas e angústias do ser humano diante do fim iminente.
“A estranha alegria de um homem prestes a ser executado era uma ofensa à prisão, ao próprio carrasco; fazia com que parecessem absurdos.” Um velho carcereiro – que, há tempos trabalhando na prisão, via suas leis como as leis da natureza – acompanhava rotineiramente o clima de terror e apreensão dos momentos que, ora se arrastavam, ora galopavam, em um ritmo enlouquecedor para os prisioneiros e seus entes queridos.
A questão da legitimidade da pena capital gera reflexão e instiga a consciência dos leitores, até a última página em Os sete enforcados. O livro chega às lojas em novo e ousado projeto gráfico, pelo selo Rocco Jovens Leitores, juntando-se a outras narrativas breves de autores de grandes clássicos universais como Miguel de Cervantes, Herman Melville, R. L. Stevenson, Gustave Flaubert, Henry James, E. T. A. Hoffmann, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário. Ele é muito bem-vindo. E, vai me fazer muito feliz. =)