[Resenha] Qual o Seu Número? - Karyn Bosnak

"Qual número, exatamente, é considerado alto para uma mulher da minha idade? Bem, é difícil dizer, porque as pessoas raramente são sinceras a respeito dos seus números. E isso não é nenhum segredo. (...) Eu admito: sou tão culpada quanto qualquer pessoa quando o assunto é manipular o número. Inclusive, meu número muda, dependendo da pessoa com quem estou conversando."

Delilah Darling tem quase 30 anos e já se relacionou com 19 rapazes. Sua vida sentimental não tem sido exatamente brilhante, pois todo cara que conhece parece fugir do relacionamento. Quando lê uma matéria no jornal em que a média de homens para uma mulher de 30 anos é de 10,5, o artigo no jornal termina falando que, se a mulher tivesse o número acima dessa média, seria impossível a pessoa certa. Na tentativa de não aumentar seu número e perder de vez a chance de se casar, Delilah sai à procura de seus antigos namorados e tenta reconquistá-los. Será que um deles estará disposto a esquecer o passado e começar uma linda história de amor?


""Confesso que não estava muito animada em fazer essa resenha. Não consegui interagir com Delilah. Ao meu ver, ela é totalmente sem noção e superficial. Ela pagou cada mico, que eu, mera espectadora, me envergonhava. Eu poderia deixar essa resenha de lado, afinal, esse livro não foi a editora que me enviou, eu fiquei curiosa e resolvi comprar. Não me arrependo de tê-lo feito, não estou dizendo que não gostei do livro, gostei sim, e muito. O que me exasperou foram as atitudes da protagonista. Quantos homens são necessários para encontrar o amor verdadeiro?Quando Delilah Darling lê uma pesquisa revelando que a maioria das mulheres tem 10,5(não entendi esse meio) parceiros sexuais em sua vida, ela começa a se sentir como uma vagabunda. Afinal ela dormiu com 19 homens - quase o dobro da média nacional. Então ela se alto impõe uma meta, não ultrapassar a marca de 20 homens, jurando guardar a última vaga para o homem certo. Mas, depois de perder o emprego e ter uma noite selvagem na cidade, ela cai na cama com o cara errado. Incapaz de se imaginar em uma vida de celibato, ela faz a única coisa que uma mulher em sua situação poderia fazer: ela resolve encontrar todos os homens com quem ela já dormiu, deixando de fora os gays e os casados. Isso em um último esforço para encontrar o homem certo no meio de seus antigos parceiros. A maioria dos encontros entre Delilah e seus antigos namorados são divertidos, apesar de alguns serem um desastre completo. Delilah é auxiliada em sua caça por seu vizinho lindo e cheio de charme Colin. Um dos pontos positivos dessa história maluca, além do Colin, foi o fato de Delilah ter encontrado Eva Gabor, uma bem vestida yorkshire terrier, que ela comprou no início de sua tresloucada missão. A melhor amiga, Michelle, que eu considero a voz solitária da sanidade em meio deste imenso deserto de idéias absurdas e totalmente sem noção. A amiga faz de tudo para demover Delilah de seu intento, mas infelizmente ela não consegue. O sub-enredo do casamento de Daisy, irmã da protagonista, foi tudo uma fachada para desenvolver o clímax da história, que me surpreendeu e divertiu muito. Minha nota é 4. E recomendo a leitura. ""