Novidades Editora Arqueiro

Quarenta dias após a morte de seu marido, Julie Barenson recebe uma encomenda deixada por ele. Dentro da caixa, encontra um filhote de cachorro dinamarquês e um bilhete no qual Jim promete que sempre cuidará dela. Quatro anos mais tarde, Julie já não pode depender apenas da companhia do fiel Singer, o filhotinho que se tornou um cachorro enorme e estabanado. Depois de tanto sofrimento, ela enfim está pronta para voltar a amar, mas seus primeiros encontros não são nada promissores. Até que surge Richard Franklin, um belo e sofisticado engenheiro que a trata como uma rainha. Julie está animada como havia muito tempo não se sentia, mas, por alguma razão, não consegue compartilhar isso com Mike Harris, seu melhor amigo. Ele, por sua vez, é incapaz de esconder o ciúme que sente dela. Quando percebe que seu desconforto diante de Mike é causado por um sentimento mais forte que amizade, Julie se vê dividida entre esses dois homens. Ela tem que tomar uma decisão. Só não pode imaginar que, em vez de lhe trazer felicidade, essa escolha colocará sua vida em perigo. O guardião contém tudo o que os leitores esperam de um romance de Nicholas Sparks, mas desta vez ele se reinventa e acrescenta um novo ingrediente à trama: páginas e mais páginas de muito suspense.
****
Julie cresceu vendo sua mãe trocar de namorado como quem troca de roupa e nunca se sentiu confortável com aquela situação. Chegou a ser assediada por um deles e, quando falou com a mãe sobre isso, foi acusada de se insinuar para ele. Então decidiu sair de casa. Por algum tempo viveu nas ruas, aceitando qualquer trabalho humilhante em troca de um teto e um prato de comida. Certo dia conheceu Jim num restaurante. Ele pagou seu café da manhã e se ofereceu para ajudá-la a encontrar um trabalho e um lugar para ficar. Bastaria que ela se mudasse para a pequena cidade de Swansboro, na Carolina do Norte. Sem nada a perder, ela aceitou a proposta. Pouco depois sua vida estava refeita: começou a trabalhar como cabeleireira no salão de Mabel, tia de Jim, e descobriu nele o amor da sua vida. Acontece que o destino tem um jeito estranho de pregar peças. Seis anos após se casarem, Jim morreu em consequência de um tumor cerebral. Tudo o que restou a Julie foi um presente inusitado deixado de surpresa pelo marido: um filhote de cachorro dinamarquês. Quatro anos depois, Julie decide que está na hora de refazer sua vida e, quem sabe, encontrar um novo amor. Mas quem seria o companheiro ideal? O sofisticado engenheiro Richard Franklin, que não poupa esforços para agradá-la? Ou o prático mecânico Mike Harris, o melhor amigo dela e de seu falecido marido? Obrigada a tomar uma decisão, Julie escuta seu coração, mas acaba provocando um ciúme doentio que pode ter consequências devastadoras.

Em seu novo livro, Kristin Hannah constrói uma história apaixonante de cumplicidade, heroísmo e, acima de tudo, esperança.Como tantos casais, Michael e Jolene não resistiram às pressões do dia a dia e agora estão vendo seu relacionamento de doze anos desmoronar. Alheio à vida familiar, Michael está sempre mergulhado no trabalho, não dá atenção às duas filhas e não faz a mínima questão de apoiar a carreira militar da esposa. Então Jolene é convocada para a guerra. Ela sabe que tem um dever a cumprir e, mesmo angustiada por se afastar de casa, deixa para o marido a missão de cuidar das meninas e segue para o Iraque. Essa experiência mudará para sempre a vida de toda a família, de uma forma que ninguém poderia prever. No front, Jolene depara com a dura realidade e precisa, mais do que nunca, recorrer à sua força e inteligência para se tornar uma heroína em meio ao caos. Em suas mensagens para casa, ela retrata um mundo cor-de-rosa, minimizando os horrores que vivencia com o objetivo de proteger todos do sofrimento. Mas toda guerra tem um preço, e ela acaba se vendo protagonista de uma tragédia. Agora Michael precisa encarar seus medos mais profundos e travar uma batalha em nome da família.
****
Jolene sempre foi uma mulher corajosa e independente, que procura ver o lado positivo de tudo. Apaixonada por Michael e pela carreira militar, ela vê seu mundo ruir quando o marido diz que não a ama mais. No pior momento de sua vida, ela ainda recebe uma notícia que abala a todos: uma convocação para a guerra. Mesmo incompreendida pela família, Jolene tem um dever a cumprir e precisa confiar em Michael para cuidar das duas filhas do casal. Em meio a esses conflitos, seu único conforto é Tami, a melhor amiga e companheira no Exército. Trocando confidências e se apoiando mutuamente, elas não podem prever a tragédia que as aguarda. Quando você voltar é um retrato profundamente honesto das dificuldades do casamento moderno, tendo como pano de fundo a devastação que a guerra pode causar na vida de uma família.
Nesta história comovente de superação, Kristin Hannah mostra o lado humano de cada um de nós e nossa eterna luta pela felicidade.

“Feito com inteligência... Pavone tem insights brilhantes sobre o paralelismo entre espionagem política e duplicidade conjugal... Completamente apaixonante.” – The New York Times Book Review
Kate Moore é uma mãe que trabalha fora e luta para equilibrar as despesas e o orçamento, criar os filhos, manter viva a chama do casamento... e guardar um segredo cada vez mais difícil de suportar. Por isso, quando seu marido, Dexter, recebe uma proposta de emprego em Luxemburgo, ela agarra a chance de deixar para trás sua vida dupla e recomeçar do zero longe de Washington. Em outro país, Kate se reinventa, enquanto Dexter trabalha sem parar num emprego que ela nunca entendeu, para um cliente que ela não pode saber quem é. Em pouco tempo, a confortável vida europeia com que sonhava se revela uma rotina cansativa em que o marido vai ficando cada vez mais distante e evasivo e ela, solitária e entediada. Chega então outro casal americano, que faz amizade com Dexter e Kate. Mas ela logo desconfia que os novos amigos não sejam exatamente quem dizem ser – e fica apavorada diante da possibilidade de estar sendo perseguida por fantasmas do passado. Assim, Kate começa a investigá-los e acaba descobrindo camadas e mais camadas de mentiras que a cercam e, por trás disso tudo, um golpe extremamente bem elaborado que ameaça sua família, seu casamento e até sua vida.
****
“Em vários momentos, pensei estar lendo os primeiros livros de Ken Follett, Frederick Forsyth e Robert Ludlum. Um suspense inteligente e engenhoso e uma trama bem construída.” – John Grisham
Kate Moore acaba de se mudar de Washington com a família, depois que o marido, um especialista em segurança eletrônica, recebeu uma oferta de emprego irrecusável em Luxemburgo. Lá, ela se ocupa cuidando da casa e dos filhos, tomando café com outras mães e viajando para Paris ou para os Alpes nos fins de semana. Mas essa rotina aparentemente perfeita é só mais um aspecto de uma vida inteira de mentiras, na qual Kate começa a suspeitar de um casal de amigos e até do próprio marido. Agora, enquanto viaja pela Europa, Kate se vê acuada entre a falta de confiança nas pessoas que a cercam e a certeza de que seu grande segredo, que esperava ter deixado para trás em seu país, pode pôr tudo a perder nessa vida nova e tão organizada que tenta levar.
Elegante e sofisticado, com uma trama inteligente que desafia os instintos do leitor e o guia por pistas falsas e reviravoltas inesperadas, Os impostores prova que Chris Pavone é um escritor de enorme talento que veio para ficar.

O maior amor do mundo mostra as experiências mais transformadoras de nossas vidas – casamento, filhos, morte – com delicadeza, sabedoria e maturidade.” – Associated Press
Ella Beene encontrou a felicidade há três anos, quando parou ao acaso na pequena Elbow e conheceu Joe, que cuidava sozinho dos filhos. Logo os dois estavam casados e a vida parecia perfeita. Até que um dia Joe desobedeceu à sua própria regra – “jamais dar as costas para o mar” – e morreu afogado enquanto tirava fotos nas rochas. Ella sempre acreditou que Paige, a ex-mulher de Joe, simplesmente abandonara o marido e os filhos. Mas, para sua surpresa, Paige aparece no funeral querendo as crianças de volta. É quando Ella percebe que Joe não lhe contou tudo sobre seu primeiro casamento. Trilhando caminhos diferentes, as duas mulheres se encontram na mesma encruzilhada, disputando a guarda das crianças que amam e buscando respostas para seus conflitos emocionais.
O maior amor do mundo é um mergulho no complexo universo da maternidade, com seu afeto incondicional e muitas vezes doloroso. Uma história tecida em cores vívidas e um guia cativante das emoções humanas – da dor e da raiva, da vergonha e do perdão, da tristeza e da esperança que sonha se transformar em felicidade.
****
Depois de se divorciar, Ella Beene pegou a estrada em busca de um novo rumo para sua vida. Ao parar na pequena cidade de Elbow para lanchar e aproveitar suas belezas naturais, ela conheceu Joe, que gerenciava o mercado local e cuidava sozinho dos dois filhos: Zach, de 6 meses, e Annie, de 3 anos. E se apaixonou – por Joe, pelas crianças, pela cidade. Três anos depois, eles estão casados e levam uma vida tranquila. Mas tudo muda quando Joe se afoga e seus segredos vêm à tona. Depois da morte do marido, Ella descobre que a mãe biológica das crianças não as abandonou para sempre, como ele afirmava, e que o mercado, de onde eles sempre tiraram seu sustento, está indo à falência. De uma hora para outra, Ella vê sua vida de dona de casa transformada. Agora, além das tarefas domésticas e de cuidar da horta e dos filhos, ela precisa encontrar uma forma de sustentar a família. Mas essa não é a maior de suas preocupações. Paige, a mãe das crianças, voltou à cidade para pedir sua guarda definitiva.
O maior amor do mundo é uma história que nos conquista pelas palavras singelas e verdadeiras, pela suavidade com que assuntos dolorosos são tratados, pela verdade em cada cena. Da felicidade cega inicial, passando pelo luto e a dor da perda, a narrativa se desenvolve e se aprofunda, numa verdadeira celebração da vida.

“Um livro bem-humorado e inteligente... Tropper apresenta um bando de parentes divertidos e problemáticos. Os diálogos são rápidos e estimulantes, mas o livro tem densidade.” - The New York Times
“O talentoso e divertido Jonathan Tropper volta a atacar com um livro de chorar de rir e de cortar o coração. Sete dias sem fim é real e angustiante – quando não é hilário.” - USA Today
Judd Foxman pode reclamar de tudo na vida, menos de tédio. Em questão de dias, ele descobriu que a esposa o traía com seu chefe, viu seu casamento ruir e perdeu o emprego. Para completar, seu pai teve a brilhante ideia de morrer. Embora essa seja uma notícia triste, terrível mesmo é seu último desejo: que a família se reúna e cumpra sete dias de luto, seguindo os preceitos da religião judaica. Então os quatro irmãos, que moram em diversos cantos do país, se juntam à mãe na casa onde cresceram para se submeter a essa cruel tortura. Para quem aprendeu a vida inteira a reprimir as emoções, um convívio tão longo pode ser enlouquecedor.Com seu desfile de incidentes inusitados e tragicômicos, Sete dias sem fim é o livro mais bem-sucedido de Jonathan Tropper. Uma história hilária e emocionante sobre amor, casamento, divórcio, família e os laços que nos unem – quer gostemos ou não.
****
“Hilário e emocionante. Tropper surpreende ao mudar as alianças entre irmãos, maridos e mulheres, amigos e inimigos, amantes e desamados. O resultado é um livro que encanta o leitor com suas confusões, seus problemas sem solução e a dura realidade de que só há um fim possível para todos nós.” - Los Angeles Times
“Este é um lindo livro sobre os homens – seus desejos, sua fúria e sua doçura. Não deixe de ler.” -The Washington Post
Mort Foxman deixou de herança aos quatro filhos uma decadente cadeia de lojas, uma enorme casa com problemas elétricos e o talento de lidar com os sentimentos recorrendo sempre ao sarcasmo. Com sua morte e a necessidade de cumprir o ritual judaico da shivá, pela primeira vez em anos, todos os membros da família se reúnem. Ou quase todos. Alguém está faltando: a esposa de Judd, Jen, cujo caso de mais de um ano com o chefe do marido acaba de ser descoberto. Ainda abalado por sua tragédia pessoal, Judd não acha a ideia de tanto contato familiar nada animadora: Paul, o irmão mais velho, só sabe remoer seus ressentimentos; Phillip, o caçula, continua perdido na vida; e Wendy, a única irmã, aparece com três crianças pequenas a tiracolo. Isso sem contar a mãe, os cunhados e todos os amigos e vizinhos que vêm prestar suas condolências. À medida que a semana passa, as coisas logo saem de controle: mágoas virão à tona, antigos amores serão relembrados e segredos inimagináveis se revelarão.
Para Judd, os sete dias serão uma longa tentativa de encontrar algum sentido no caos em que sua vida se transformou.

Um comentário:


  1. Ana eu ja tenho o guardião e espero ler o mais rapido possivel e quando você voltar esta nos meus maiores desejos!
    Deixo aqui o link do meu cantinho que foi criado como uma forma de sair um pouco do estresse e me divertir, ainda estou apanhando e com muitas dúvidas, mas tudo é publicado com muito carinho! http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário. Ele é muito bem-vindo. E, vai me fazer muito feliz. =)